Protocolos com os Bancos CGD e BES relativos aos benefícios da taxa de juro e antecipação das ajudas anuais do IFADAP/INGA.

Protocolo de parceria com a Câmara Municipal de Lisboa.

Realização de colóquios, seminários, debates, reuniões de trabalho em cada uma das Regiões onde foram abordados assuntos actuais e de interesse para o sector Agrícola.

Realização de debates, através do Gabinete Técnico da Política Agrícola Nacional e Europeia, informando os Jovens Agricultores sobre as novas disposições legais a serem implementadas no III.º Quadro Comunitário.

Continuar: O que fizemos

A CNJ - Confederação Nacional dos Jovens Agricultores de Portugal, foi fundada a 11 de Abril de 2000, pela necessidade de confederar as Associações de Jovens Agricultores.

É uma Organização que se assume dotada de personalidade jurídica e sem fins lucrativos de âmbito nacional, representando 13.658 associados, distribuídos por 16 Associações Regionais de Jovens Agricultores, 6 Núcleos e a FOJAP - Federação Nacional das Organizações de Jovens Agricultores de Portugal.

Esta organização apresenta-se como entidade que pretende ocupar um espaço vago e que necessariamente tem de responder de uma forma eficaz e personalizada ao anseio de todas as Organizações de Jovens Agricultores.

 

A Confederação Nacional dos Jovens Agricultores de Portugal foi constituída no ano 2000, representando 80% das associações e Federações de Jovens Agricultores de Portugal Continental e Açores

 

A CNJ tem como Missão representar e defender os interesses dos Jovens Agricultores, bem como as organizações que os representam, directa ou indirectamente, junto das entidades nacionais e internacionais, públicas ou privadas, numa óptica de PROMOVER, FACILITAR e VALORIZAR.

 

Nos seus objectivos estão incluídos Promover o desenvolvimento do Mundo Rural e de todas as actividades que lhe possam estar associadas:

- A produção, o turismo, a promoção dos produtos tradicionais,

- A formação e a qualificação dos jovens em particular e dos agricultores no geral

- Defender uma agricultura respeitadora do ambiente mas vocacionada para o mercado e para os direitos dos consumidores

- Promover o Associativismo e o Cooperativismo

- Contribuir para um mundo melhor, uma sociedade mais justa com melhor qualidade de vida, mais saudável, mais qualificada respeitadora do homem, do meio ambiente e do bem-estar animal.